Como funciona o Fermento Seco para cerveja?

Atualizado: 4 de Dez de 2019

O processo de liofilização (secagem) da levedura gera uma célula bem nutrida e com reservas que serão usadas para aclimatação no mosto e propagação de uma a duas gerações. Essas células gerarão descendentes sadios, que se desenvolverão e se proliferarão com facilidade no mosto. Basta hidratá-las em água na temperatura recomendada e, em aproximadamente meia hora, elas já estarão prontas para trabalhar.


Processo de hidratação do fermento seco para posterior adição no processo de fabricação da cerveja

As leveduras líquidas não têm essas reservas, por isso é necessário que estejam em maior número no mosto, pois elas não serão tão bem nutridas. É necessária sua propagação por pelo menos 24 horas, para que cheguem ao número ideal de inoculação.

A grande vantagem das leveduras líquidas é a sua variedade. Várias cepas geram vários estilos de cerveja, sem que o cervejeiro precise se esforçar muito.

Nem todas as cepas conseguem ser liofilizadas, portanto, a variedade dos fermentos secos é menor. Porém, bem trabalhados, principalmente em relação à temperatura de fermentação, os fermentos secos podem gerar vários estilos, mas dependem diretamente da mão do cervejeiro, ou seja, do seu conhecimento e empenho.

Líquidas ou secas, as leveduras são as nossas maiores aliadas na fabricação de cervejas saborosas e bem-feitas!

André Kley

Analista Cervejeiro e Sommelier

Cervejeiro caseiro há quase 10 anos, com mais de seis mil litros de cerveja produzidos na cozinha de casa!

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo